PARECER CREMEC Nº 16/2007
19/05/07

 

PROCESSO-CONSULTA Protocolo CREMEC Nº 4.967/06
INTERESSADO – Dr. RAFAEL PORTO CABRAL
ASSUNTO –
CASOS DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA EM OBSTETRÍCIA.
PARECERISTA – CÂMARA TÉCNICA DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA

 

DA CONSULTA

            O Dr. Rafael Porto Cabral, Diretor Administrativo do Hospital Maternidade Jesus Maria e José, pergunta: Quais são os Casos de Urgência e Emergência em Obstetrícia?

DO PARECER

            De acordo com a Resolução 1451/95, do Conselho Federal de Medicina (CFM):

            Define-se por Urgência a ocorrência de agravo à saúde com ou sem risco de vida cujo portador necessita de assistência médica imediata

            Define-se por Emergência a constatação médica de condições de agravo à saúde que impliquem em risco iminente de vida ou sofrimento intenso, exigindo, portanto, tratamento imediato.

            As urgências obstétricas podem ocorrer nas três fases do ciclo grávido puerperal. Embora muitas delas sejam peculiares à gestação, ao parto e / ou ao puerpério, algumas, entretanto, podem ocorrer em mais de uma dessas fases como, por exemplo, inclui-se a eclâmpsia.

            As mais freqüentes complicações obstétricas, cuja gravidade prognóstica materno-perinatal impõe assistência imediata, estão referidas nos três quadros seguintes:

I – Urgência obstétrica – Gestação

Hemorrragia
Prenhez ectópica
Placenta prévia
Descolamento Prematuro da placenta (DPP)
Abortamento
Prenhez molar
Rotura do seio marginal
Inserção velamentosa do cordão
Infecção
Pós abortamento
Amniorrexe prematura (corioamnionite)
Patologias associadas
Pré–eclâmpsia grave
Eclâmpsia

II – Urgência obstétrica – Parto

Hemorragia                                     Distócias
Rotura uterina                                  Prolapso de cordão
Patologia da dequitação                   Sofrimento fetal agudo
Inversão uterina (aguda)                   Desproporção feto-pélvica
Infecção- embolismo                        Situações fetais anômalas
Infecção intraparto                           Parto gemelar
Embolia amniótica                            Acidentes tococirúrgicos
Patologias associadas
Pré–eclâmpsia grave
Eclâmpsia

III – Urgência obstétrica – Pós-parto (puerperal)

Hemorragia                            Diversos
Hemorragia pós-parto            Insuficiência renal aguda
Infecção                                 Psicose puerperal
Infecção puerperal                  Diastase sinfisiária
  1 Mastite
  2 Endometrite - Miometrite - Parametrite
  3 Tromboflebite
  4 Peritonite
  5 Choque Séptico

            A gestante que já está em trabalho de parto pode ser considerada caso de emergência?

            Durante o trabalho de parto são freqüentes as intercorrências (quadro II) que assumem caráter de urgência cujas manifestações adquirem intensidade e gravidade prognóstica que exigem rápido diagnóstico e pronta assistência.

Leitura suplementar:
Urgências em Tocoginecologia: Bussâmara Neme – José A Pinotti, 1992 – SP.Brasil

Esse é o Parecer,

Fortaleza, 19 de maio de 2007

Arnaldo Afonso Alves de Carvalho
Coordenador

Francisco das Chagas Medeiros
Membro

Silvia de Melo Cunha
Membro